Quaker Decor

VELUDO – LUXO DO CLOSET AO DÉCOR

Clássico e atemporal, o veludo caiu no gosto dos egípcios e desde os primórdios até os dias atuais é sinônimo de glamour para os mais diversos estilos.

As tendências em tecidos entram e saem das passarelas e do décor a cada estação, mas o veludo é sinônimo de luxo e glamour desde os primórdios. Assim como a seda, os veludos fabricados com linho são os materiais mais antigos utilizados na confecção de vestimentas, estofados e acessórios. A história rica e milenar que envolve a fabricação dessa textura começou com os egípcios e, na sequência, foi continuada pelos italianos – responsáveis pela fama mundial das fábricas em Veneza, Florença, Gênova e Milão.

A origem do nome vem do latim Vellutus, com significado “cheio de pelos”, e Vellus, “pele de animal”. Antigamente, sendo de uso exclusivo da realeza, passou por métodos inovadores de fabricação e hoje pode ser produzido a partir de uma variedade de fibras, incluindo seda, viscose, poliéster e algodão – cada tipo de filamento é responsável por um padrão diferente.

Do estilo clássico ao vintage, do urbano ao romântico, a modelagem dá as caras na decoração em ambientes contemporâneos carregados por uma dose extra de informação visual, personalidade e boas histórias. Mas o que o torna tão especial não é só o charme e o glamour, mas também a produção complexa de cada modelo marcados pelas cores fortes, resultado da maneira como as fibras florescem quando são cortadas – é isso que proporciona uma superfície de textura suave as peças. O veludo é daqueles que não sairá tão cedo da sua vida, pois com o passar dos anos, ele se torna cada vez mais bonito e luxuoso.

Entre as opções mais procuradas estão o veludo liso puro, o cotelê (canelado), o molhado e o devorê (com relevos). O catálogo da Quaker Decor possui uma seleção excepcional com mais de 40 cores em linha e veludos confeccionados em diversas fibras – consequentemente, uma gama enorme de estilos. Fabricados na Europa, os modelos da marca possuem tingimento nos fios, que garante maior fixação e durabilidade da cor. Além disso, os acabamentos tecnológicos facilitam a limpeza, remoção de manchas e garantem ultra resistência aos desgastes do uso diário. Pautado por essa premissa, o veludo em linho El Indian Velvet, lançamento 2019 da Quaker Decor, foi produzido com o acabamento Easy Living® e oferece cem por cento de facilidade na hora da higienização.

 

Aqui e agora: tudo o que você precisa saber sobre o PILLING e como evitá-lo

Todo amante de um tecido de boa qualidade já passou pela dor de cabeça de ver bolinhas em cores opostas surgirem de repente. É uma ocorrência muito comum, principalmente em estofados novos produzidos com matéria-prima artificial – como é o caso do poliéster, acrílico, poliamida, viscose e elastano.  Os consumidores tem razão em se preocuparem com esse efeito que deixa um aspecto de desgaste no mobiliário.

O nome desta complicação é pilling e ela costuma ser mais normal do que você imagina. Então, sem pânico! Vamos te ensinar o necessário para que se livre deste problema.

Na maioria das casas do Brasil e do mundo, o “fenômeno” é bastante corriqueiro. Ele está em travesseiros, tapetes, roupas e móveis. Em algum momento, fibras bem pequenas – ou um amontoado delas – podem se soltar dos tecidos.  Assim, começam a se enrolar e se prender à peça. Quando em excesso, essas aglomerações ficam mais visíveis.

No caso de móveis estofados, como em sofás e poltronas, o pilling se forma com o passar do tempo, resultado do atrito suave nos móveis. Ao se sentar, a fricção faz com que as fibras se torçam juntas em pequenas esferas. O mesmo pode acontecer ao tirar uma textura da máquina de lavar, já que a força da rotação faz com que diversas fibras se encontrem.

“Então, por quê o pilling é sempre da cor diferente da matéria-prima original?”

Isso acontece porque poeiras e sujeiras podem entrar nessa soma e se emaranham junto ao tecido, deixando aquele pontinho mais puxado para as tonalidades acinzentadas.

É importante observar que o pilling não é um defeito ou falha de fabricação – portanto, não é coberto pela garantia. Para evita-lo, é preciso realizar manutenções dos móveis estofados regularmente para que se mantenham sempre impecáveis.

As fibras soltas são facilmente removíveis, mas é preciso esperar que se aglutinem para que a trama não seja enfraquecida. Um “papa bolinhas” dá conta do recado de maneira ágil e barata. Lâminas de barbear sem a faixa de umidade também são muito utilizadas, mas é preciso ter certeza de que a borda da ferramenta é a correta para evitar que a peça seja danificada.

Depois desse processo, é só aspirar e remover o excesso.

Pronto! Agora você pode manter sua superfície sempre impecável – e livre de todo pilling!

 

Fontes:

https://en.wikipedia.org/wiki/Pill_(textile)

https://www.testextextile.com/what-is-pilling-in-fabric/

https://www.furnitureacademy.com/fabric-pilling-causes-treatment-prevention/

https://www.charlesparsonsinteriors.com/blog/upholstery-pilling

https://www.potterybarn.com/tips-and-ideas/smart-solutions-fabric-pilling/

http://magnoliaco.com/fabric-pilling-information/

5 dicas infalíveis para decorar ambientes com pouco espaço

Imóveis com metragem reduzida já são uma tendência nas grandes cidades. Construtoras têm apostado cada vez mais em apartamentos pequenos mais próximos aos centros urbanos, em uma proposta que torna possível morar nos bairros mais desejados das capitais.  

Apesar de ser interessante a possibilidade de viver onde quiser escolhendo um apê pequeno, a primeira crise da mudança é sempre a mesma: como decorar com pouco espaço? Antes de imaginar todas as suas coisas em um apartamento entulhado, onde nunca será possível receber os amigos, dá uma olhada nas dicas da Quaker Decor para aproveitar cada metro quadrado disponível em casa:

VerticalizeUse as paredes para fixar estantes, armários, prateleiras ou nichos e otimizar o seu espaço. Assim, você consegue organizar os seus livros e objetos de decoração sem entulhar a casa, além de poder criar uma composições interessantes.

Comece com uma base neutra

Em ambientes menores, uma base branca, cinza ou bege nas paredes e móveis passam a sensação de ampliar o espaço, além de permitir maior liberdade para usar a criatividade com objetos de decoração. Almofadas são super legais para trabalhar cores em cima de uma base mais neutra em sofás e poltronas.  

Divida os espaços sem bloquearReprodução Pinterest

Você pode criar diferentes ambientes mesmo em um pequeno espaço. Use estantes ou sofás para dividir os cômodos sem bloqueá-los: assim, a luz natural alcança todos os “ambientes” e o apartamento parece mais amplo.

Iluminação Outra forma de “ampliar visualmente” o espaço é através da iluminação. Focos de luz pontuais ajudam a demarcar as divisões dos ambientes, além de oferecer uma maior sensação de aconchego. Uma opção interessante para deixar a decoração mais “cool” são as luminárias pendentes.

 

Desapegue

Ainda que alguns truques de design permitam acomodar muito mais coisas em espaços menores, a máxima para viver em um espaço pequeno é sempre desapegar. Pense duas vezes sobre todos os objetos da casa, e se livre do que for desnecessário. Vender móveis e outras peças de decoração usados pode ser um jeito interessante de fazer um dinheiro extra.

 

 

 

Sobre o que você deseja ler?

O que você busca?

Quaker Decor - Coleções

Instagram

Facebook