Quaker Decor

Selva urbana: como ter a sua própria horta em um apartamento

 

Quem disse que você precisa de um quintal enorme para ter vegetais fresquinhos em casa? Mesmo com um espaço reduzido, é possível ter as mais variadas plantas dentro do seu apartamento – é só aprender a adequá-las ao ambiente.

A conscientização sobre alimentar-se de maneira saudável e dar preferência aos produtos orgânicos é cada vez mais comum entre os moradores de grandes cidades, que estão abandonando o tradicional fast-food e outros alimentos industrializados para optar por refeições mais balanceadas.

E na onda do consumo consciente, popularizou-se o cultivo de alimentos em hortas verticais, ou seja, o plantio de verduras e ervas em vasos posicionados nas paredes. Essa adaptação é ideal para qualquer tipo de apartamento, além possibilitar o acesso a alimentos de procedência conhecida e livres de agrotóxicos. Basta ter paredes em casa!

Assim como nos preocupamos com emissão de poluentes na fabricação de nossos tecidos e nos orgulhamos de todos os nossos produtos cumprirem os requerimentos do anexo XVII da REACH, referente ao uso proibido de substâncias perigosas para a saúde, queremos também incentivar nossos clientes a terem hábitos mais saudáveis e nada melhor do que uma horta em casa para começar!

Veja como é simples ter a sua própria horta vertical:


Estrutura

O primeiro passo para montar a sua horta vertical é escolher como será a estrutura. Existem inúmeras possibilidades de materiais que podem ser usados, desde que eles possam ser fixados ou apoiados nas paredes e, principalmente, que possam acomodar os vegetais que você pretende plantar. Opções comuns são caixas de madeira, pallets ou prateleiras.

O que plantar

Você pode começar a sua horta pelos temperos, como hortelã, manjericão e alecrim. São vegetais “mais fáceis” de cuidar e que podem ser colhidos na maior parte do ano. Brócolis, couve e espinafre também são boas opções para o plantio em espaços menores, além de garantirem diversos pratos saudáveis para a sua rotina. O mais importante é estudar um pouco sobre cada um dos vegetais que você decidir plantar para entender exatamente como deve ser feito o plantio e o cuidado com eles no dia a dia.


Cuidados com a horta

O lugar escolhido para montar a sua horta vertical precisa ser adequado para que as vegetais vivam uma vida saudável: um espaço arejado com incidência de luz solar é essencial. Mas conhecer as particularidades de cada vegetal plantado é tão importante quanto, para que você possa determinar corretamente as rotinas de irrigação e adubação da horta. A interação de uma planta com a outra também deve ser levada em consideração, principalmente para definir se elas serão plantadas juntas em um canteiro ou separadas por vasos.

Viu como é possível transformar a sua casa no que você quiser? Seja qual for o espaço que você tem disponível, dá para ter o melhor da natureza no seu cantinho da selva de concreto. Aproveite para conferir outras maneiras de renovar os ambientes sem precisar de reforma.

Como usar tecidos metalizados na decoração

O metálico já é uma tendência na moda. Super  presente nas roupas e acessórios, a trend chegou com tudo na decoração em 2018. Tecidos metálicos nos sofás, poltronas e almofadas são apostas certas para renovar os ambientes e criar espaços modernos e luxuosos.

Se você ainda sente insegurança em usar tecidos metalizados na decoração da casa, confira as nossas dicas para dizer adeus a esse medo e levar mais glamour para a sua casa.

Metálicos e madeira

Tons metálicos contrastam perfeitamente  com a madeira, e a combinação dos dois cria ambientes sofisticados e aconchegantes ao mesmo tempo.  Encontro do rústico com o luxuoso, é uma opção interessante para combinar almofadas de tecido metalizado em cadeiras de madeira ou mesmo estofados metálicos em piso de madeira. Conheça a coleção Casa Couture by Quaker Decor.

Mix de estampas

Para criar um ambiente mais descontraído, você pode misturar os tecidos metalizados a outras estampas de almofadas ou estofados. Usar cores semelhantes em diferentes materiais, estampas e texturas é uma maneira interessante de compor uma decoração criativa.

Minimalismo

Se o seu objetivo é trazer mais refinamento para um ambiente, usar os tecidos metalizados de forma minimalista é a aposta certa. Opte por cores sóbrias, como cinza, preto, branco, bege ou marrom para criar a base que vai contrastar com almofadas e outros estofados de tecido metálico. O resultado é uma decoração clássica e sofisticada.

Seja qual for a maneira que você escolher para aderir a essa tendência, os tecidos metalizados dão sempre  um toque de luxo ao seu ambiente. E para continuar a transformação da sua casa, que tal conhecer 5 dicas para decorar com pouco espaço?

Chega de paredes “cruas”! A tendência para 2018 é verticalizar a decoração

 

É hora de soltar a criatividade na decoração de interiores: uma super tendência para esse ano é a verticalização, ou seja, o uso das paredes para decorar e organizar os ambientes. Esse tipo de decoração torna espaços menores mais funcionais, cria a sensação de ambientes mais amplos e evitando que os móveis precisem ser amontoados para acomodar todos os objetos da casa.

Além da praticidade, o uso das paredes amplia as possibilidades de decorar o espaço e deixá-lo com a personalidade de quem vive lá. Brincando com cores e formas, você pode fazer de objetos comuns elementos de destaque na sua decoração.

A verticalização pode ser resumida em três palavras de ordem:

– Organizar

– Decorar

– Otimizar

Confira como você pode transformar o seu espaço com cada uma delas:

 

Organize

Reprodução Pinterest

Estantes e prateleiras são as melhores amigas de quem tem um espaço reduzido em casa. Elas podem acomodar seus livros, aparelhos eletrônicos e todas as coisas que você pode evitar colocar em gavetas ou caixas. Suportes para pendurar chaves, guarda-chuva e casacos também são uma forma interessante de verticalizar o espaço e manter os seus objetos organizados. Assim, ninguém precisa passar horas procurando as chaves toda vez que sai de casa, não é?

 

Decore

Reprodução Pinterest

Você pode transformar objetos comuns em itens de decoração trabalhando com as suas cores e formas. A mesma estante pode ter livros, plantas e canecas e estar super bem decorada; tudo depende da composição, ou seja, de como você vai combinar as cores e formatos de cada um desses objetos. O resto da casa também entra nesse conjunto: dê unidade à decoração com as estampas das almofadas ou tecido do sofá, por exemplo.  

E é claro que os quadros e pôsteres não podem ficar de fora aqui, certo? Eles têm total poder de transformar uma parede e de representar quem mora naquele espaço. Abuse da criatividade e traga a sua banda favorita, uma frase motivacional ou fotos do seu pet para as paredes de casa. Vale tudo para imprimir a própria personalidade nos ambientes. Você ainda pode apoiar os quadros nas estantes e prateleiras em vez de pregá-los na parede para uma composição moderna.

 

Otimize

A chave para a verticalização é otimizar os espaços enquanto se criam composições interessantes para a decoração. Na cozinha, por exemplo, você pode pendurar alguns utensílios em cima da pia em vez de guardá-los em gavetas; assim, economiza-se espaço e cria-se uma decoração mais informal e moderna. O mesmo vale para prateleiras com temperos e garrafas de bebida.

E aí, tudo anotado para verticalizar o seu lar? Para ajudar na transformação, veja também os 5 jeitos de mudar a casa sem quebrar tudo.  

 

5 dicas infalíveis para decorar ambientes com pouco espaço

Imóveis com metragem reduzida já são uma tendência nas grandes cidades. Construtoras têm apostado cada vez mais em apartamentos pequenos mais próximos aos centros urbanos, em uma proposta que torna possível morar nos bairros mais desejados das capitais.  

Apesar de ser interessante a possibilidade de viver onde quiser escolhendo um apê pequeno, a primeira crise da mudança é sempre a mesma: como decorar com pouco espaço? Antes de imaginar todas as suas coisas em um apartamento entulhado, onde nunca será possível receber os amigos, dá uma olhada nas dicas da Quaker Decor para aproveitar cada metro quadrado disponível em casa:

VerticalizeUse as paredes para fixar estantes, armários, prateleiras ou nichos e otimizar o seu espaço. Assim, você consegue organizar os seus livros e objetos de decoração sem entulhar a casa, além de poder criar uma composições interessantes.

Comece com uma base neutra

Em ambientes menores, uma base branca, cinza ou bege nas paredes e móveis passam a sensação de ampliar o espaço, além de permitir maior liberdade para usar a criatividade com objetos de decoração. Almofadas são super legais para trabalhar cores em cima de uma base mais neutra em sofás e poltronas.  

Divida os espaços sem bloquearReprodução Pinterest

Você pode criar diferentes ambientes mesmo em um pequeno espaço. Use estantes ou sofás para dividir os cômodos sem bloqueá-los: assim, a luz natural alcança todos os “ambientes” e o apartamento parece mais amplo.

Iluminação Outra forma de “ampliar visualmente” o espaço é através da iluminação. Focos de luz pontuais ajudam a demarcar as divisões dos ambientes, além de oferecer uma maior sensação de aconchego. Uma opção interessante para deixar a decoração mais “cool” são as luminárias pendentes.

 

Desapegue

Ainda que alguns truques de design permitam acomodar muito mais coisas em espaços menores, a máxima para viver em um espaço pequeno é sempre desapegar. Pense duas vezes sobre todos os objetos da casa, e se livre do que for desnecessário. Vender móveis e outras peças de decoração usados pode ser um jeito interessante de fazer um dinheiro extra.

 

 

 

Casa Couture: descubra a coleção inspirada no prêt-à- porter de luxo da moda

Inspirada nas coleções do prêt-à-porter de luxo da moda, a coleção Casa Couture foi desenvolvida a partir de conceitos únicos do décor. Exclusividade, materiais nobres e  excelentes acabamentos são os destaques da mais refinada coleção by Quaker Decor já criada.

A partir de uma cuidadosa curadoria, a Quaker Decor criou os tecidos mais luxuosos utilizados na decoração de interiores. Com tecnologia de ponta nos processos de fabricação dos tecidos, criamos uma seleção exclusiva para quem valoriza produtos de altíssima qualidade e procura sofisticação também na hora de decorar a casa.

Ao reunir a nobreza de diferentes tipos de fibras, desenvolvemos um banco de fios único para criar padrões exclusivos, com um alto nível de detalhamento.

Casa Couture, decor em alta costura.

Descubra os tecidos

Com tecidos em tons de verde, azul, cinza e tons pastel, a coleção tem texturas e acabamentos refinados e traz os metálicos que deixam tudo ainda mais refinado. Conheça:

O Linho

Quaker Decor

O nosso post de hoje é sobre uma fibra têxtil natural muito utilizada na confecção de tecidos para decoração, fazendo um tecido neutro e que nunca sai de moda. Essa fibra é o Linho!

O Linho está entre as fibras têxteis mais antigas do mundo. Ele foi descoberto há mais de 8.000 a.C, mas não se sabe ao certo quando a fibra do linho começou a ser utilizada. Há registros que comprovam o seu cultivo desde 2.500 a.C. pelos egípcios e posteriormente em algumas regiões da Grécia e Portugal,  então espalhou-se pelo mundo pela facilidade de ser manuseado.

O linho era tão valorizado que, além de fazer parte das vestimentas de gala dos faraós, as múmias egípcias também eram enroladas em tecido puro dessa matéria prima. Quando a tumba do Faraó Ramsés II foi aberta, 3.000 anos depois de seu selamento, o linho que o envolvia encontrava-se em ótimo estado de conservação.

A produção de linho têxtil no mundo se concentra na Europa e na Rússia, e a melhor fibra considerada é a de origem Belga. No Brasil, há apenas pequenos produtores centrados na produção da semente do linho, a linhaça, que tem seu óleo utilizado no preparo de tintas, esmaltes e vernizes.

Tanto o cultivo quando o processo de produção da fibra são muito caros e, consequentemente, o preço final do produto também é elevado. Para contornar esse problema, as empresas produzem tecidos de composição mista, fibra de linho misturada com algodão e viscose mantém suas características, além disso, o linho recebe um tratamento que o deixa com aspecto de “encerado”, fazendo com que amasse menos.

Devido à sua durabilidade e resistência, os fios de linho são utilizados nas mais diversas confecções, encontram-se roupas de cama, tecidos para estofados, panos de cozinha, cortinas ou mesmo roupas feitos desse material. Com a chegada dos linhos mistos, hoje ele é bastante requisitado porque, além de ser resistente à sujeira, é fácil de lavar, amassa pouco e tem um toque mais agradável que a fibra pura.

Uma curiosidade, é que o linho está entre os tecidos mais ecológicos que existem, pois é preciso poucos produtos químicos em sua produção, quase não há desperdício de material durante a confecção dos fios posto que o que não é utilizado pode ser aproveitado em outras indústrias, como papel e cosméticos, e o próprio cultivo é renovável, não inutilizando a terra onde é plantado.

 

Por ser uma fibra natural, deve-se ter cuidados especiais com os tecidos de linho. Segue abaixo algumas dicas de como cuidar do seu tecido de linho:

  •  Preferencialmente, lavar a seco. Mas também pode ser lavado em casa com sabão neutro.
  • Nunca deixe de molho, deve ser bem enxaguado e centrifugado, porém jamais torcido.
  • Para secar é importante deixar à sombra e estendido.
  • Não misture com produtos que contenham cloro, pois pode amarelar o tecido.
  • Estofados de linho necessitam apenas de uma escovada e aspirador para limpeza.
  • No caso das cortinas, estofados e carpetes a melhor opção é lavagem a seco, pois o linho pode sofrer encolhimento se não for tratado.

 

 

Estampas Tribais

Na moda, as tendências vêm e vão, de acordo com as décadas. Mas uma tendência que parece que veio para ficar e continuará com tudo no ano de 2015, são as estampas tribais. Tanto na moda quanto na decoração, a estampa já conquistou o gosto dos brasileiros.

Tribal é um termo referente à tribo. Uma tribo é um conjunto de pessoas agrupadas por uma cultura, língua, história e costumes comuns. Cada tribo possui seus próprios costumes: danças, cânticos, instrumentos musicais, rituais, artesanato, pinturas e outros elementos que são reconhecidos como pertencentes a uma tribo.

Muito utilizadas na década de 70, as estampas tribais ou étnicas, como também são chamadas, são baseadas nas pinturas de povos e civilizações antigas, como os maias, incas, astecas e até mesmo tribos indígenas da África e norte americanas.

Essas estampas trazem formas geométricas, zig zag e texturas numa incrível mistura de cores, ou apenas monocromáticas e bicolores. A ideia é usar a referência desconstruindo ou inovando através da combinação de diferentes materiais.

 

Alguns tipos de estampas tribais:

Asteca: o triângulo é a principal forma geométrica que aparece na estampa. Ele vem em diversas variações, pode ser mais largo, mais estreito, sobreposto, invertido, ou tudo isso junto (que é o que geralmente acontece).

Batik: o índigo, marrom e branco são as cores tradicionais e são totalmente naturais, e remetem aos deuses hindus Brahma, Vishnu e Shiva. O tecido ganha estampas únicas em algumas áreas, e as que não são tingidas são devidamente protegidas com cera. Ah, e todos os desenhos são únicos e feitos à mão.

Ikat: a palavra é original da Indonésia, mas pouco se sabe sobre a real procedência da estampa, que foi popularizada na Colômbia e em outros países sul americanos. Sua técnica é semelhante ao tie dye (devido ao borrado das bordas) com tingimento feito nos fios, e quando são tecidos ganham diferentes combinações.

Navajo: com certeza a mais famosa, é oriunda da tribo homônima norte americana. Mistura grafismos de todos os tipos e cores, que lembram as tramas das cestas produzidas por eles. Mas elas ficaram famosas mesmo estampando as famosas mantas tecidas pelos nativos da tribo, com variação bem semelhante no Peru a que chamamos de ponchos.

Rica em contrastes e cultura, a moda tribal é a cara do verão, perfeita para encher a casa de cor e alegria!

 

Sobre o que você deseja ler?

O que você busca?

Quaker Decor - Coleções

Instagram

Facebook